segunda-feira, junho 17, 2013

A Tua escola, Mãe.


Quando fui para a tua escola – repito, a tua escola – nunca quis que deixasses de ser a “Professora Cristina”. E cada vez que precisava de falar contigo – porque naquela altura ainda dizias que nunca irias ter telemóvel porque era uma dependência e as ondas electromagnéticas eram más para a saúde – ia ter com a Dona Lurdes (espero que a memória não me falhe) e pedia para falar com a Professora Cristina. E tu aparecias entre as portas da sala de professores, esse refúgio de troca de opiniões e desabafos.

E o respeito que eu tinha por aquela sala de professores, guardada por duas portas de madeira sempre fechadas. Não me recordo, mas tenho a certeza que me levaste ali muitas vezes quando era pequena, quando tinhas reuniões de avaliação e, caso raro, não tinhas ninguém com quem me pudesses deixar. E sabes do que lembro? Do cheiro da sala, cheirava a livros velhos. E cada vez que ali entrava – enquanto ali estudava, já ao final do dia, sem ninguém por perto, me deixavas entrar – sentia arrepios de frio. Não de medo, mas uma sensação de descoberta. Era a sala dos professores. E havia ali uma magia inexplicável.

Passei três anos na tua escola e muitos dos professores só descobriram que era tua filha já no último ano – muitos nunca souberam. Ali, eras a Professora Cristina. A que ficava desorientada quando um aluno não compreendia a importância do Saber, a que passava fins-de-semana à secretária a corrigir testes e a tentar encontrar estratégias para que ninguém chumbasse. Ali, na tua escola, não eras a minha Mãe, eras a Professora Cristina.

A mesma a quem os olhos brilhavam quando um aluno teu, no exame final de 12°ano, tirava uma nota daquelas. Tu podes não te aperceber da dimensão, mas brilhavam até não mais poder. E pulavas se fosse preciso, dizias aos sete ventos que tinha sido teu aluno. E quem sabe, compreende-te.

E sabes porque entendo isto? Porque também tive muitos bons professores. Na tua escola, na outra escola. E sei ver a paixão nos olhos de quem ensina. O prazer de ensinar, de explicar – uma, duas, três, as vezes que forem precisas.

E por isso entendi a tua angústia quando não conseguias decidir se ias ou não fazer greve. Porque, por um lado, sabias que o tinhas de fazer. Sabias que todas estas medidas, além de te prejudicarem a ti, iriam prejudicar mais os teus alunos no futuro. Por outro, ao fazeres greve, estavas a alterar os planos de tantos outros alunos. E aposto, que no meio de tudo isto, pensaste em mim. E no Tiago. E nos nervos que tínhamos os dois no dia do nosso primeiro exame nacional.

[Liguei-te agora. Não me atendeste. Liguei ao Pai para saber se tinhas feito greve. Disse-me que ainda não tinhas decidido e que não sabia o que ias fazer quando saíste de casa. E o Pai usou a mesma palavra que eu: “Ia naquela angústia”, disse-me].

Não sei o que decidiste. E o que quer que tenhas decidido, tenho a certeza que o fizeste em consciência. Que pensaste, repensaste, e fizeste este exercício vezes sem conta. E só porque agora já não estou na tua escola, não deixas de ser a Professora Cristina. E imagino-te nos corredores da tua escola. Onde, depois de tantos anos, sei que essa angústia te destrói.

[Liguei-te agora. Não fizeste greve aos exames. Eu sei, eu entendo. “Mas vou continuar com a greve às avaliações”, dizes-me. E querias saber o que se passava pelo País.]

Sentes que te roubam a tua escola, o teu ensino, a tua escola pública. Para a qual trabalhas desde os 22 anos.  A Tua escola. E tu, como tantos outros professores, sabes o que isso significa. Daí a angústia.

Mãe, também fico angustiada. Angustiada que eles não entendam isso.

E, por isso, sei que hoje não estou na tua escola. Mas se estivesse, entrava nessa tua sala e dava-te a mão. Para que percebesses que te entendo.

2 comentários:

Isaura Ribeiro disse...

Não consegui passar por este texto e não deixar uma palavra de atenção, está muito bem escrito e prendeu-me nas primeiras linhas. Muito bom mesmo, atrevo-me a dizer que foi uma lavagem da vista desta atmosfera blogueira :)

hoang lien disse...

Minecraft Skins . How do you feel if your charaters have very new and fashionable skins in many games of Minecraft at this Christmas and up-coming Tet holiday? It will be really fun. Now let me make it come true. I am so excited to be with you in every Minecraft game! 

Minecraft Mods
. Just like Skins, you seem to get so bored with some Minecraft mods you have ever used. Would you like to take part in extremely modern and great new games as well as experience the exciting atmostphere that you have never tried before? I guess all of you cannot wait more for these wonderful things. Let’s get started to join these games and I will show you how easy it is to find out the other Minecraft mods.

Minecraft Maps
. Hmmm… In Minecraft, I like this part most. Do you know why? Well, as you can see, Maps Minecraft is so great because you cannot discover any challenge in every game without Maps Minecraft. The wonderful. Minecraft Maps usually interest me so much but my PC configuration is not suitable. LOL…! However , I do not give up even no matter hard it is. Now I have much more Maps Minecraft than ever after a long time discovering. All of you are welcomed to visit my blog and take a look at these Maps Minecraft. LOL… All is for everyone who are keen on Maps Minecraft. I really hope our Minecraft community will gradually become greater and happier in near future.
Minecraft Texture Packs
. I rarely search about it , but I also have many Minecraft Texture Packs to share with you. 

Christmas and New Year are together coming! minecraftfreemods.net Wish you all happiness and best luck! I hope these great holidays will bring us millions of reasons to smile in life! Merry Xmas and Happy New Year!
Everything will finally be alright! Wish you a successful life! Your all
dreams will definitely come true! <3
                                                                                                          minecraftfreemods.net